"Uma fotografia... uma ideia"

March 29, 2016

FAZER UMA FOTO SEM PLANEAR É COMO ESCREVER UM LIVRO SEM UMA HISTÓRIA.

 

 

Planear antes a história da fotografia que queremos obter, é um passo essencial para se obter um bom registo.

Algo que observo muitas vezes, quer nos nossos workshops, quer em outros colegas, é o acto de montar o tripé.

Esse primeiro acto é decisivo para o sucesso ou insucesso de uma fotografia. 

Ao chegar a um local, o fotógrafo monta o tripé e desde já o seu planeamento está comprometido pelo posicionamento do tripé.

 

Antes de montar o tripé, antes de pegar na máquina, o fotógrafo deverá de observar e planear a sua história. Ver os elementos que tem à sua frente, quais os que são importantes para comunicar a sua ideia e posicionar-se de modo a que os restantes elementos saiam do enquadramento.

 

E depois sim, montar o tripé, montar a câmara e fazer o registo.

 

 

tempo a despender para fazer uma fotografia...    

 

 

    Visualizar a fotografia                             Fotografar                              Editar a fotografia

 

Pode parecer caricato que no processo de fazer uma fotografia, apenas assumi 20% do tempo para o acto de registar a imagem.

Na verdade, se passarmos mais tempo a planear a foto, precisaremos de menos fotos para fotografar e obteremos mais registos com qualidade. 

Do mesmo modo, com menos fotos e com mais qualidade o nosso tempo de edição será também menor.

 

 

O PROCESSO... passo a passo.

 

VISUALIZAR A FOTOGRAFIA

 

#1 regra:

Não pegar na câmara sem ter a ideia do que pretende comunicar.

 

Um dos problemas mais comuns é integrar demasiados elementos na fotografia. Ao introduzir demasiados elementos a nossa ideia não é totalmente notória e ideias mal definidas tendem a traduzir-se em fotografias confusas.

 

#2 regra:

Uma fotografia.. uma ideia

 

A simplicidade leva a fotografias poderosas. Mesmo seguindo as boas regras de composição, uma fotografia com muitos elementos, mesmo bem composta costuma resultar numa fotografia algo confusa.

Por isso, retirem do enquadramento tudo aquilo que não ajuda à nossa ideia base.

Para tal, pára... pensa... e pergunta-te o seguinte:

- Qual é a mensagem que quero comunicar ?

- Visualiza todos os elementos à tua frente. Avalia cada um deles. SIM, o elemento pode ajudar na passagem da mensagem. NÃO, o elemento não ajuda.

- Quais são os elementos mínimos que precisas para comunicar a ideia ?

 

#3 regra:

Todos os elementos funcionam ou a favor ou contra a nossa mensagem.

 

Geralmente bastam dois elementos para criar uma possível história. Uma história que será a tua mensagem. Identifica quais são esses elementos e procura fotografar apenas esses dois elementos.

 

Menos é mais... 

Na maior parte das vezes, a nossa posição define...Por isso, é importante tentar mudar algo que nos permita isolar os elementos necessários e deixar de fora aqueles que não interessam.

Temos algumas possibilidade que podemos explorar:

- Para baixo

- Para cima

- Para a direita

- Para a esquerda

- Chegar à frente

- Recuar

- Zoom in

- Zoom out

- Mudar de lente

Procura perceber mentalmente se alguma destas possibilidades te pode ajudar ou não.

 

Como sabes se estás nas condições ideais ?

Fácil, pela lógica invertida.. quando nenhum dos aspectos acima traz algo melhor ao teu enquadramento, então claramente estás no local certo, com a lente certa e com a distância focal certa.

 

Para obter o melhor registo, existe sempre um posicionamento ideal e uma distância focal ideal.. é só procurar.

 

Agora, que temos o nosso enquadramento ideal, está na altura de usar as regras básicas de composição para colocar os elementos.

 

#4 regra: 

Capturar momentos únicos

 

Esta última regra, é igualmente importante. Até podes conseguir atingir as 3 outras regras, mas se o teu registo não for um momento, toda a fotografia perde, e acabas com um registo banal.

Um momento único é algo que se passa por instantes, que não perdura no tempo. A titulo de exemplo, temos presente que na maioria das nossas horas de vivência temos um céu azul durante o dia e um céu negro à noite. Algo que dura várias horas e que damos como certo. Daí que a nossa predilecção vá para o nascer do sol e o por do sol, que duram menos tempo. Mesmo ai, existirá um momento diferente, um pequeno brilho no topo de uma montanha, um pequeno brilho no nosso elemento.. algo que seja único e momentâneo.. e é esse o momento que queremos registar.

Depois de teres presente as 3 regras iniciais, deixa-te ficar, avaliando a luz e os momentos, vai fazendo alguns registos de momentos que te parecem ser interessantes. No final escolherás aquele que for realmente único.

 

FAZER A FOTOGRAFIA

 

Fazer o registo propriamente dito é o mais simples do processo. É encontrar os settings correctos, em fotografia de paisagem usar a hiperfocal para obter a profundidade de campo desejável.

No entanto, procura fazer várias exposições. Vê o histograma, não te deixes influenciar pelo LCD da máquina. Procura obter imagens "puxadas" à direita, sem "estourar" os brancos, de modo a teres mais informação. Em situações de grandes diferenças de luz, usa o bracketing.

A fotografia não acaba quando fazes o clic e grava no cartão de memória.

 

EDITAR A FOTOGRAFIA

 

Se fotografamos como um fotógrafo, devemos de editar como um pintor.

A edição é aquilo que vai transformar o teu bom registo numa fotografia de TOP.

Edita tendo em conta a mensagem inicial que queres transmitir. É importante que a edição acompanhe esse raciocínio.

 

 

Na minha foto acima, depois de me posicionar e isolar os barcos, com recurso à minha posição, à posição do tripé e por fim com a distância focal esperei para fazer o registo, no momento em que o sol se colocou entre as nuvens.

A mensagem que passo na fotografia é a calma do nascer do sol na ria de Aveiro, para isso o sol é um dos elementos que deve de estar presente. Os barcos perfeitamente parados com um excelente reflexo transmite essa sensação de tranquilidade e a calma da ria. 

Por fim, a colocação dos elementos, mais ou menos na vertical dos terços da imagem, com os barcos em primeiro plano no terço inferior em contraponto com o sol no terço superior, para obter a necessária dimensão e profundidade à imagem.

 

 

Fotografa uma ideia... Conta uma história... Cria a tua visão.

 

 

   

  

 

 

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Workshops | Cursos | Viagens fotográficas

Photo Details Workshops

Deixe a sua opinião

Contacte-nos

  • Facebook Social Icon

Siga-nos no facebook